domingo, 15 de janeiro de 2017

A filosofia do apresentador brasileiro e judeu Sílvio Santos

O apresentador de televisão brasileiro e dono de uma rede de TV (Sistema Brasileiro de Televisão, SBT), judeu, Sílvio Santos, ou mais precisamente, senhor Abravanel, tinha um programa de auditório (hoje chamado apenas de "Programa Sílvio Santos") mas que no passado tinha o título vexatório e politicamente incorreto de "TOPA TUDO POR DINHEIRO". Pois bem, de lá para cá, algumas coisas foram mudadas e outras foram mantidas. O que ele manteve, de politicamente incorreto (estou utilizando um eufemismo quando uso as palavras "politicamente incorreto" , até por que já fui seu telespectador assíduo no passado... mais por causa das "pegadinhas" engraçadas que ele apresentava no final do seu programa).é, por exemplo, o fato de que dobre notas de vinte, cinquenta e cem reais - transformando-as em aviõezinhos que são jogados para as mocinhas e senhoras que são trazidas ao seu auditório, aviõezinhos estes que são disputados, digamos, a tapas pela mulherada. Coisa degradante, humilhante. Mas, aproveitando o que já revelei sobre o judeu senhor Abravanel, tenho a seguinte dúvida: será que esse "topa tudo por dinheiro" é o objetivo do judeu médio ou apenas da sua elite rica? Torço para que seja apenas uma mácula da elite judaica. E, mesmo eventualmente sendo uma mácula localizada, quero passar um conselho, na forma de interrogação, para tal elite: por que não retroagir no tempo (se isso não puder ser feito no passado, que o seja feito no futuro) e mudar o nome do programa para "TOPA TUDO POR AMOR"? Aliás, foi justamente esta sugestão, de forma explícita, mas diferente desta abordagem feita neste post, que fiz à filha do banqueiro judeu Joseph Safra - a qual simplesmente não seguiu meu conselho e continuou se degradando ou se deformando com o dinheiro. Hoje, se não fugiu do Brasil, já está na cadeia (pois já foi condenada na segunda instância e está prestes a ser condenada definitivamente na terceira instância, ou seja, o processo está prestes a atingir o status de transitado em julgado). Voltando ao senhor Abravanel, presumo que ele já tenha trabalhado duramente, muito, mas muito mesmo. Acho-o uma pessoa inteligente, criativa. Só acho que deveria ser mais cuidadoso ou politicamente correto quando sabe que adentra à casa de milhões de pessoas e constitui um formador de cidadãos, que influencia, infelizmente, mais negativamente que positivamente o arcabouço cultural de seus telespectadores. Por isto mesmo, já faz um bom tempo que não assisto a nenhum programa da sua rede de televisão. Simplesmente o boicotei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário